Ronnie Von – A Máquina Voadora (1970)

Photobucket

Ronnie Von
“A Máquina Voadora”
Released 1970 on Polydor (LPNG 44.050)
This pressing, Discos Mariposa, Argentina, 2006

01. Máquina Voadora
02. Baby de Tal
03. Verão nos Chama
04. Seu Olhar no Meu
05. Imagem
06. Continentes e Civilizações
07. Viva o Chopp Escuro
08. Enseada
09. Tema de Alessandra
10. Águas de Sempre
11. Cidade
12. Você de Azul

I have to admit it. If I were around in Brazil in the 1960s, I would have hated Ronnie Von with a passion. A former air-cadet pretty-boy (Top Gun, anyone?) who then went on to work at the Brazilian stock-market… A guy who would have been selling designer jeans in magazines if he had not eventually become interested in the idea of playing or singing music. He began cultivating this interest in 1964 because of a Brazilian Beatles’ cover band, and by 1966 was being presented on TV as a jovem guarda singer. I’m not kidding, it would have been very very hard for me to take this guy seriously. Ah and those hypnotic come-hither green eyes of his, how could I resist those?? Pretty easily, actually. As a friend of mine here put it, she always found Ronnie Von a bit too “mocinha”, which I discovered is probably the best translation of ‘pretty boy’, or at least of an effeminately macho heterosexual. He was also nicknamed “The Small Prince”, which sounds much better in Portuguese. Sort of.

In truth Ronnie is known more for his work as a TV presenter than a singer, being thrust into the spotlight rather quickly with those good looks and bad haircut (featured in one shot in the booklet and in this vintage clip on Youtube). He hosted a ton of different TV specials, introducing musical artists and interviewing guests. And here is where I begin to like Ronnie’s story, although I know nothing about his media personality. You see, as the 1960s drew to a close, he psychedelized himself. Rather convenient of him, you might be justifiably thinking to yourself. But how can you not like a guy who hosted a TV special in 1968 that is listed simply as “Ronnie Von and The Robot (In Which Ronnie Talks With a Robot).”

Ok, so now I’m all ears.

He made three long players in this period that are worth hearing, and this one is by far the best. In fact, I like it quite a lot. It’s got some pretty heady stuff on it to please any obsessive psychedelic-rock collector, while still retaining enough jovem guarda sensibility to never take itself too seriously (“Verão nos chama” and especially “Viva o chopp escuro”). The album has decent orchestral arrangements that don’t try too hard to sound like Rogério Duprat. The title track is a monster of a bad-ass song, in my opinion. In 1968 Brazil it would have come off as totally derivative of The Beatles simply by way of its production, but in the rest of the world at that time that was full of much more rock derivative of The Beatles, it wouldn’t sound that way at all. And in fact the song owes more to Taiguara and Roberto Carlos then to McCartney or Lennon. “Seu olhar no meu” has a lot of Donovan in it (another pretty-boy, come to think of it), which is completely alright by me as I happen to really like Donovan. And while some people may find his spoken poem “introduction” on “Continentes e civilações” a bit overdone (I put “introduction” in scare quotes because it lasts for a full two minutes), I find it highly entertaining when the crescendo kicks in and… well, goes nowhere really, that’s basically the end of it. The two songs apparently written for his daughter, “Tema de Alessandra” and “Você de azul”, are both really nice, even beautiful. Like other parts of the record, the production strikes gold with a delicate balance of strategic use of strummy acoustic guitars, bombastic organ chords, some noodling on a recorder or okarina flute, and fuzzy fuzzy electric guitar lines. Whatever dude, I find this album charming and I hope you do to.

Photobucket
Ronnie, looking fabulous and not ‘mocinha’ at all, in fact.

The preparation of this post must have been cursed by haunted television personalities of ages past or whatnot. First I put together a folder with all the artwork crooked and barely usable and failed to notice this until all the other work had been done, including hosting the file. Alas, easy enough to fix and only slightly time-consuming. Then I discovered that I somehow missed a page or two of the booklet giving Ronnie’s bio, and one of the badly-translated pages in English. More importantly, I missed a shirtless photo of Ronnie. I am not fixing it again, but alas, I found the entire text of the booklet online to give you here. But no sexy chest, sorry.
—————————–

RONNIE VON – Biografia

Nascido em Niterói sob o signo de câncer, em 17 de julho de 1944, nos primeiros minutos de uma Segunda-feira.

Teve uma infância tranquila, fazendo muitas molecagens como era comum nas crianças da sua idade.

Em 1960 prestou exame para a Escola Preparatória de Cadetes do Ar de Barbacena, tinha 15 anos, entrou em 72º lugar, entre 4000 candidatos e 240 aprovados. Aos 17 anos de idade fez seu primeiro vôo sozinho num Folker T-21, um dos dias mais emocionantes de sua vida. Foi um bom piloto, mas fez um montão de molecagens, coisas da juventude.

Mas ser piloto não era o seu destino, então saiu da escola da Aeronáutica e foi para a faculdade de Economia onde passou a estudar a noite e durante o dia a trabalhar com seu tio que administrava empresas que operavam no mercado de capitais. Tempos depois casou-se com Aretusa, mãe de seus dois primeiros filhos e montou uma distribuidora de valores, começando a operar no mercado paralelo. Não obteve muito sucesso e teve que vender seu carro, presente de casamento de seu pai, e outros bens para honrar seus compromissos.

Em 1964 começou a interessar-se pelos Beatles, que tornaram-se seus grandes ídolos, iniciando assim o seu interesse pela música.

Em 1965, muito amigo de Eli Barra, um dos integrantes do grupo Brazilian Beatles (grupo “cover” dos Beatles), foi apresentado ao produtor Glauco Pereira, que sentindo o talento e as grandes possibilidades do rapaz, contratou-o imediatamente.

Sua estréia deu-se no programa BRAZILIAN BEATLES CLUB (1965), na antiga TV EXCELSIOR do RJ, onde cantou a música mais bonita da época – YOU’VE GOT TO HIDE YOUR LOVE AWAY, de Lennon e McCartney, tema do filme HELP, surgindo a seguir o seu contrato com a Philips, lançando seu 1º compacto com a música “MEU BEM”, versão feita pelo próprio Ronnie com o auxílio de seu pai, da música GIRL.

Agnaldo Rayol, em seu programa CORTE RAYOL SHOW, foi a grande chance que Ronnie procurava para vencer em SP, onde recebeu a consagração de ídolo (seus olhos verdes e tristes, conquistaram os corações das garotas).

A partir de MEU BEM, abriram-se as portas para um novo ídolo do iê iê iê.

Passando pelo programa de Hebe Camargo, tornou-se o “Pequeno Príncipe”(1966), um título que perdura até hoje.

Outubro de 1966, com o sucesso de MEU BEM, Ronnie ganha um programa exclusivo na TV Record: “O PEQUENO MUNDO DE RONNIE VON”.

No mesmo ano de 1966 surge o 1º LP, e os shows começam a aparecer por todo o país. Depois de MEU BEM, um novo sucesso: – A CATEDRAL.

Em 1967 Ronnie Von grava “A PRAÇA”, música de Carlos Imperial, com a qual vendeu muitos discos, mostrando um cantor mais versátil, menos “Beatles”, mas igualmente romântico. O estouro desta música mudou muito a vida de Ronnie, todas as cidades queriam conhecer o cantor de “A Praça”.

Com o final do “PEQUENO MUNDO”, Ronnie viaja para a Disneylândia onde passa 17 dias e aprende muitas coisas no bairro dos Hippys, voltando psicodélico.

Com o seu retorno vieram outros programas:

-RONNIE & RONALDO (TV RECORD – NOV/67)

-Na rádio Jovem Pan, “O mundo colorido de Ronnie Von” (67 / 68)

-RONNIE VON ESPECIAL (TV RECORD 1968)

-RONNIE VON E O ROBOT (onde Ronnie conversa com um Robot) (1968)

-RONNIE E OS ALEGRES COMPANHEIROS (com Renato Aragão) (1968 / 69)

Ronnie participou também de um dos Festivais da Record, defendendo a música “UMA DÚZIA DE ROSAS”, de Carlos Imperial.

Em 25/06/1968 Ronnie recebe o título de CIDADÃO PAULISTANO na Câmara Municipal de SP das mãos da vereadora Ana Lamberga Zeglio, onde Ronnie fez um breve discurso destacando a frase: -“HÁ MAIS ALMAS DO QUE TERRAS PARA CULTIVAR”.

Mais tarde recebe também o título de “Comendador” em BIRITIBA MIRÍM, onde inaugura a Avenida e Escola RONNIE VON.

Saindo da TV Record, Ronnie apresentou o programa “ASSIM CAMINHA A JUVENTUDE”, na antiga TV EXCELSIOR (1969 / 1970).

Em fevereiro de 1969, Ronnie inicia também um programa na rádio Nacional de SP, e lança mais um LP.

O pequeno Príncipe cresceu, cortou seus cabelos longos….tornou-se um “grande Príncipe”.

Entre um disco e outro Ronnie se dedica a outras atividades: empresário, produtor de modas, participa de filmes e novelas, entre elas “A Menina do Veleiro Azul” (1969).

Em 02/01/1970, nasce sua primeira filha, Alessandra, e Ronnie lança mais um LP contendo uma música em sua homenagem: – “TEMA DE ALESSANDRA”. No mesmo ano, em 02/12/1970, nasce Ronaldo, seu segundo filho com Aretusa.

Em 1977 ocorre uma nova reviravolta em sua carreira, Ronnie grava a música “TRANQUEI A VIDA”, pela RCA, e devido ao grande sucesso alcançado, regrava esta música em vários idiomas e passa a fazer muito sucesso também fora do Brasil.

Nesse mesmo ano Ronnie começa a participar de um programa de competição musical, o “QUAL É A MÚSICA”, onde torna-se o grande destaque do programa, devido aos seus conhecimentos e incrível memória.

Ainda em 1977, Ronnie faz mais uma novela: CINDERELA 77 (TV TUPI), onde vive um Príncipe motoqueiro.

Com o final da novela, surge mais um programa: RONNIE VON ESPECIAL (1977/78), desta vez pela TV TUPI.

No ano de 1979, Ronnie grava seu 2º LP pela RCA e logo depois, assina contrato com uma nova gravadora, a SOM LIVRE.

Nesse mesmo ano de 1979 Ronnie é pego de surpresa por uma grave doença, POLIONEURITE NEURO RADICULAR, que o deixa impossibilitado de andar e de cama por vários meses. Mas a vontade das pessoas de vê-lo curado era tanta, que através de orações e promessas, deu a ele forças para se recuperar.

E finalmente, depois de uma terrível luta contra a doença, Ronnie volta a cantar e promete: – “Só saio do Palco se me abaterem a tiros, e mesmo assim vou lutar muito para que isso não aconteça.”

Surge então em 1981 o LP “SINAL DOS TEMPOS”, onde Ronnie canta músicas com mensagens profundas, onde fala das mudanças e também do seu recaminho.

Nesse mesmo ano de 1981, Ronnie faz uma participação especial na novela O AMOR É NOSSO (TV GLOBO).

Em 1983 Ronnie aparece com força total, através da música “CACHOEIRA”, e novamente vem ocupar os primeiros lugares das paradas de sucesso.

Em 1984, Ronnie casa-se com a atriz Bia Seidl e muda-se para o Rio de Janeiro, mas mostrando que é um bom cidadão paulistano, um ano depois, retorna a SP, a terra que lhe adotou como filho.

Ainda em 84 Ronnie participa de um dos capítulos da novela “A GATA COMEU” (TV GLOBO), onde Bia Seidl é uma das protagonistas.

Em 1986, após ter protagonizado um filme em Buenos Aires/Argentina, entitulado TAXI UNO, Ronnie, no clima romântico de Buenos Aires, descobre o verdadeiro amor de sua vida, sua amiga de infância, Cristina, que esperou por ele durante muitos anos, e que havia ido até lá apenas para acompanhá-lo a uma exposição de arte.

Ainda em 1986 Ronnie grava o tema de abertura da novela SINHÁ MOÇA (TV GLOBO), – “Sinhaninha”.

Para comemorar os seus 20 anos de carreira artística, Ronnnie inicia em 18/11/1986 uma temporada de shows no ESPAÇO ELIS ARTE & RESTAURANTE.

Em 1987 Ronnie lança mais um LP, desta vez pela gravadora 3M, entitulado Vida e Volta.

Em 06/06/1987, nasce Leonardo, seu 3º filho, o primeiro com sua atual esposa Cristina.

Nesse mesmo ano de 87 Ronnie participa do Filme “A FILHA DOS TRAPALHÕES”, ao lado de Myrian Rios, Renato Aragão, Dedé Santana, Mussum e Zacarias.

Em 11/12/1988, Ronnie, emocionado, leva sua filha Alessandra ao altar.

Já na gravadora RGE, em 1989 Ronnie lança mais um LP, onde a música “Eu Amo Amar Você” e “Sinal de Vida” ganham grande destaque.

Março de 1991, Ronnie estréia um Talk show na TV RECORD que recebe o nome de SINAL DE VIDA, voltando a alegrar seus fãs com um programa semanal noturno.

1992 – Ronnie escreve seu primeiro livro: MÃE DE GRAVATA pela Editora Maltese. Uma autobiografia, cujo objetivo foi passar para os outros a experiência, a vivência, os acertos e os erros cometidos por ele.

A proposta desse livro era levar o conhecimento que adquiriu ao assumir a guarda de seus filhos, quando da sua separação, onde assumiu os dois papéis (pai e mãe), com êxito. Seus filhos aí estão, como um exemplo vivo de que o homem é capaz de educar e formar as crianças, mesmo com a ausência da mãe.

Em 1996, Ronnie lança seu primeiro CD pela gravadora PARADOXX MUSIC, intitulado “ESTRADA DA VIDA”.

Em 24/05/1999, Ronnie estréia pela CNT GAZETA o programa “MÃE DE GRAVATA”, um programa diário, dedicado em grande parte ao público feminino mas que acaba conquistando também o público masculino.

Em 05/03/2001 Ronnie é contratado pela TV MULHER onde continua a apresentar o programa “MÃE DE GRAVATA” e ganha o seu primeiro site na internet: www.maedegravata.com.br

Desde o dia 03/05/2004, Ronnie Von voltou a apresentar um programa na TV GAZETA intitulado “TODO SEU”, onde vem conquistando grande audiência, recebendo muitos elogios pela beleza do cenário, o bom gosto musical, pela sua simplicidade, e pela maneira carinhosa com que recebe a todos os convidados. Um momento de destaque do programa é o quadro “Visão Masculina” onde mulher não entra, e os homens debatem assuntos sobre as mulheres.

Este é apenas um resumo da carreira linda desse nosso ETERNO PRÍNCIPE RONNIE VON.

in 320kbs em pé tré

in FLAC LOSSLESS AWDIO

Liked it? Take a second to support Dr. Vibes on Patreon!
Bookmark the permalink.

Leave a Reply